Presença portuguesa no Festival Internacional de Cinema de Berlim

17/01/2022
Esta semana foram reveladas mais 3 obras portuguesas que vão integrar a secção Fórum do Festival de Cinema de Berlim: "Mato Seco em Chamas" realizado por Joana Pimenta e pelo brasileiro Adirley Queirós, "O Trio em Mi Bemol", de Rita Azevedo Gomes, e o documentário "Terra que Marca", de Raul Domingues.

O cartaz da secção Fórum da Berlinale reúne 5 obras portuguesas. Além dos 3 novos filmes anunciados esta semana, "Mato Seco em Chamas", "O Trio em Mi Bemol" e "Terra que Marca", constam ainda "Super Natural”, de Jorge Jácome, e "Nada para ver aqui”, de Nicolas Bouchez, com coprodução portuguesa.

Também já foram anunciadas as produções portuguesas em competição nesta 72ª edição do festival alemão:
"By Flávio”, o segundo filme de Pedro Cabeleira, que concorre na competição de curtas-metragens, onde terá a sua estreia mundial. É uma coprodução luso-francesa com a Primeira Idade, que se centra na história de uma jovem mãe aspirante a influencer digital. Tem fotografia de Leonor Teles.

"Aos Dezasseis”, primeira curta-metragem de ficção de Carlos Lobo que integra a Competição Generation 14Plus, respeitante a obras que exploram o mundo juvenil. O filme tem produção da Olhar de Ulisses e da Cimbalino Filmes (trailer em: https://vimeo.com/664693404)

"Águas do Pastaza”, primeira longa-metragem de Inês T. Alves, concorre na secção Generation. Depois de ter vivido dois meses numa comunidade isolada na Amazónia e de ter desenvolvido uma relação próxima com as crianças, decidiu criar este documentário.