Premiados do Curtas de Vila do Conde

18/07/2022
Icon artigo
A animação "Ice Merchants", de João Gonzalez, foi duplamente premiada na 30ª edição do festival, que terminou no passado fim-de-semana. “Garrano”, de David Doutel e Vasco Sá, arrecadou o prémio do público na competição nacional e Carlos Lobo foi considerado o melhor realizador português.

Na Competição Nacional, o filme "Ice Merchants”, que venceu o Prémio Descoberta Leitz Cine, atribuído à melhor curta-metragem em competição da Semana da Crítica, no Festival de Cannes, foi agraciado agora com o Prémio Fundação INATEL+ Prémio Pixel Bunker para melhor Filme Português no Curtas de Vila do Conde. Esta animação descrita pelo júri como "um conto engenhosamente original que se desenrola nas alturas, mas que ecoa profundamente no interior da sua humanidade afetuosa sobre os laços familiares e revela habilidade na criação de um storytelling esteticamente vibrante”, também conquistou o Prémio do Público Fricon para melhor filme da competição internacional.

Ainda nesta competição, o Prémio Kino Sound Studio para o melhor realizador português, foi para "Aos Dezasseis”, de Carlos Lobo, "pela criação de imagens de forma clara e precisa, por dirigir os atores com sensibilidade e humanidade e por criar um dos melhores planos de abertura que o júri viu no festival”, salienta o comunicado da Agência da Curta Metragem.

"Garrano”, de David Doutel e Vasco Sá, arrecadou o Prémio do Público SPA para melhor filme da competição nacional. "Garrano”, que já esteve na seleção do último Festival de Annecy, conta a história de um cavalo forçado a trabalhar sob um sol abrasador e um rapaz pago para incendiar um pinhal.

Na Competição Take One!,  "Mistida”, Falcão Nhaga, conquistou o Prémio Showreel + Prémio Instituto Português do Desporto e da Juventude + Prémio Restart para Melhor Filme  e Prémio Blit para melhor realizador Take One! Sobre o jovem realizador luso-guineense, que assinou o filme, o júri referiu: "O filme surpreende através do uso de uma linguagem clássica, carregada de grande naturalidade, dialogando entre silêncios onde a narrativa coloca as personagens e o próprio público, no lugar de revisitar um passado, através de uma história que atravessa uma herança coletiva e uma urgência do não desaparecimento de uma memória”. "Mistida” foi produzido pela Escola Superior de Teatro e Cinema (Mariana  Morais), e já esteve em competição na secção La Cinef, do Festival de Cannes.

O filme "Nest", do realizador islandês Hlynur Pálmason, foi o vencedor do Grande Prémio do festival internacional.

Mais em: https://festival.curtas.pt/noticia/premiados-curtas-vila-do-conde-2022/

 

 

Utilização de cookies: Ao continuar a sua navegação está a consentir a utilização de cookies que possibilitam a apresentação de serviços e ofertas adaptadas aos seus interesses. Mais informações