Curtas portuguesas em Clermont-Ferrand

Fonte: Agência da Curta Metragem e Festival du Court Métrage de Clermont-Ferrand
31/01/2024
Há três obras com assinatura portuguesa na competição internacional de um dos mais prestigiados festivais de curtas-metragens do mundo, que decorrerá de 2 a 10 de fevereiro, em França.
A 46ª edição do Festival du court métrage de Clermont-Ferrand selecionou para a competição "Cul-de-Sac”, "2720” e "Quase me Lembro”. 

"Cul-de-Sac”, de Mário Macedo e Vanja Vascarac, retrata um grupo de skaters que se refugia num centro comercial tornando-o o seu recreio. De acordo com a sinopse divulgada pela Agência da Curta-Metragem, enquanto passam o tempo nos corredores vazios, a quietude assombra-os. É um beco sem saída. É produzido pela Olhar de Ulisses em coprodução com Vertigo.

"2720”, do realizador luso-suíço Basil da Cunha, mostra como se vive num bairro clandestino da Reboleira, em Lisboa, e conta com a participação dos seus habitantes. 

Depois de uma violenta rusga policial, Camila, uma menina de 7 anos, parte à procura do irmão, Igor, que anda desaparecido. Ao mesmo tempo, Jysone apressa-se: passados 6 anos na cadeia e 5 semanas em liberdade, Jysone finalmente encontrou trabalho e sabe que não pode chegar atrasado. Está à procura de alguém que lhe possa dar boleia enquanto caminha pelos becos do bairro, onde se vai cruzando com amigos e conhecidos, que o atrasam ainda mais. O destino destes dois protagonistas vai acabar por se cruzar da pior forma possível.

"2720” é uma produção da Arquipélago Filmes, comissariada e coproduzida pelo Batalha Centro de Cinema.

 "Quase me Lembro”, de Dimitri Mihajlovic e Miguel Lima, da BAP - Animation Studio, foca-se na vida de uma mulher que deambula por entre a impermanência das suas memórias de infância tentando reconstruir a história da casa onde viveu o seu avô.

"Entre Sombras”, de Mónica Santos e Alice Eça Guimarães, integra a secção Panorama Euro Visions do festival francês. Esta curta, que já foi exibida no mesmo festival na edição de 2020, centra-se em Natália, refém de um trabalho entediante e repetitivo, que acaba por se envolver numa aventura em busca de um coração roubado. Num mundo surreal onde os corações podem ser depositados num banco, a protagonista atravessa vários perigos que a conduzem a um dilema: dar o seu coração ou guardá-lo para si.