Cláudia Varejão e Mónica Santos vencem o 12th UTOPIA - UK Portuguese Film Festival

O prémio de melhor longa-metragem da 12ª edição do UTOPIA – UK Portuguese Film Festival, que decorreu de 12 a 19 de dezembro de 2021, distinguiu Amor Fati, de Cláudia Varejão, e o de melhor curta-metragem foi atribuído a Alma (2020), de Mónica Santos.

Nos últimos anos, Cláudia Varejão viu os seus filmes serem selecionados e premiados por vários festivais de cinema, nomeadamente Locarno, Roterdão, Visions du Reel, Cinema du Reel, Karlovy Vary, Art of the real - Lincoln Center, entre outros. A par do seu trabalho como realizadora desenvolve um percurso como fotógrafa e é professora convidada no AR.CO e na Universidade Católica do Porto. A sua obra Amor Fati mostra "retratos de casais, amigos, famílias e animais com os seus donos. Partilham a intimidade dos dias, os hábitos, as crenças, os gostos e alguns traços físicos”, de acordo com o comunicado do Festival.
Segundo a mesma fonte, a curta "Alma” é "uma expedição poética, em que a personagem vagueia à procura da sua alma”. A sua realizadora, Mónica Santos já arrecadou dois Premios Sophia, da Academia Portuguesa de Cinema, e uma nomeação para os Césares, pela Academia Francesa.

No ano em que celebrou 12 anos, UTOPIA – UK Portuguese Film Festival mostrou o trabalho de 12 cineastas mulheres. Todas as sessões foram transmitidas ao vivo, a partir do Cinema Fernando Lopes, na Universidade Lusófona, em Lisboa, para o Reino Unido. As gravações das conversas podem ser vistas no canal de YouTube do festival.
O UK Portuguese Film Festival foi lançado em 2010, graças ao apoio do Instituto Camões e da Embaixada de Portugal no Reino Unido, pela produtora Filmville, que foi criada com o objetivo de divulgar filmes dos países CPLP no Reino Unido.