De 9 a 30 de Outubro

FESTA DO CINEMA PORTUGUÊS NA CHINA

 
04/10/2016
De 9 a 30 de Outubro
Pequim será palco de uma mostra inédita de Cinema Português com 28 obras nacionais a serem exibidas ao longo do mês de outubro e de novembro na Cinemateca Chinesa.
24 destas obras serão exibidas durante a Festa do Cinema Chinês que será inaugurada no dia 9 de outubro e que se prolonga até dia 30 do mesmo mês. Posteriormente, em novembro, serão exibidas mais 4 obras nacionais, fora do contexto da Festa, como Kilas o Mau da Fita, Amor e Dedinhos de Pé, Sangue do Meu Sangue e Tabu.

Cartas da Guerra, de Ivo Ferreira, é o filme escolhido para a cerimónia oficial de abertura em Pequim, presidida pelo mais alto representante do State Administration of Radio, Press, and Television e pelo Primeiro Ministro de Portugal.
A Festa do Cinema Português na China realiza-se um ano após Lisboa ter acolhido a Festa do Cinema Chinês , cumprindo-se o acordado entre os dois Estados em matéria de cooperação cultural.

Recorde-se que em 2015, o Instituto do Cinema e do Audiovisual, I.P., a Cinemateca Portuguesa- Museu do Cinema, IP e a Cinemateca Chinesa celebraram um Protocolo através do qual se comprometeram, mútua e reciprocamente, a  dar a conhecer a cinematografia dos respetivos Países, passado e presente, através da realização das "Festas de Cinema” em Portugal e na China.

A Delegação portuguesa - que parte para a China no próximo dia 8 de outubro- integra os dirigentes máximos do Instituto do Cinema e do Audiovisual e da Cinemateca Portuguesa, o Presidente da Academia Portuguesa de Cinema, a Presidente da Associação dos Produtores de Cinema e Televisão e os Produtores da maioria dos filmes contemporâneos que serão exibidos durante a Festa.

A Festa do Cinema Português na China segue os mesmos moldes da Festa do Cinema Chinês em Portugal, quer em termos de programação cinematográfica, quer nas restantes atividades previstas e que visam a aproximação e o conhecimento entre profissionais do setor, dos trabalhos realizados e de projetos futuros, alguns dos quais poderão  vir a ser produzidos em regime de co-produção.

Serão três ciclos distintos de programação: uma retrospetiva do cinema português que se inicia oficialmente com a exibição do filme Maria do Mar, de Leitão de Barros (1930), no dia 12,  e que será precedida de uma conferência sobre Cinema Português proferida pelo Diretor Geral da Cinemateca Portuguesa; um ciclo Manoel de Oliveira durante o qual serão exibidos filmes que marcam todo o percurso extraordinário do Realizador; e um terceiro ciclo em que se procura mostrar as diferentes vertentes do cinema contemporâneo nacional.

A Festa do Cinema Português na China estende-se à cidade de Changsha, a convite do maior distribuidor, exibidor e produtor da China, o Xiaoxing Group. Em Changsha a cerimónia oficial de abertura está marcada para o dia 10, prolongando-se a festa até dia 15, tendo sido escolhido como filme de abertura o Pátio das Cantigas, de Leonel Vieira, que também integra a delegação.

Em Changsha serão três as salas que irão exibir os seis filmes portugueses selecionados que, além do da abertura, serão Yvone Kane, Os Maias, Cartas da Guerra, Os Gatos Não Têm Vertigens e Vale Abraão.
Leonel Vieira e Luis Urbano foram ainda convidados pelas autoridades chinesas para proferirem uma master class para os alunos do mestrado de Cinema, o que acontecerá no dia 12.
Maria João Mayer, Alexandre Oliveira e Mariana Branco completam a delegação nacional em representação das respetivas produtoras.

A Festa do Cinema Português na China conta, à semelhança do ocorrido no ano transato, com o apoio do Estoril Sol que sublinha o interesse na aproximação cultural entre os dois Países.
A Festa do Cinema Português na China é uma oportunidade para dar a conhecer ao grande público chinês a cinematografia portuguesa e, através dela, a história, o povo e a cultura portuguesas.