CICLO DE CINEMA “A EXPERIÊNCIA AFRO-BRASILEIRA NA TELA”, TERMINA HOJE

15/12/2016
Começou no dia 10 de dezembro, recebeu mais de 20 filmes, e foi acolhido pela Cinemateca e Casa Independente, em Lisboa.

"A Experiência Afro-Brasileira na Tela”, é o nome do Ciclo de Cinema Afro-Brasileiro do Queer Lisboa organizado em parceria com a EGEAC e a AFRICA.CONT. O evento foi acolhido na Cinemateca e na Casa Independente.

Este é o 3º ciclo comissariado pelo Queer Lisboa — Festival Internacional de Cinema, em colaboração com a Africa.Cont, que começou em 2014 e no ano 2015 a proposta centrou-se em diásporas africanas nos EUA e no Reino Unido. Este ano, fecha-se a trilogia dedicada ao cinema queer africano.

Consulte a programação e assista ao evento que, para João Ferreira, um dos programadores,"este ciclo foi uma descoberta” e acredita que "para o público também será”. Revela ainda que "durante décadas, os afro-brasileiros foram representados na ficção audiovisual do Brasil, quer no cinema quer na televisão, em torno de estereótipos, o que reduz a sua história. Os filmes programados mostram o papel que estas comunidades tiveram na construção do Brasil que hoje conhecemos. E há pormenores fascinantes, como a relação entre o Candomblé e a sexualidade.”

A sessão de encerramento é hoje, às 21h, na Cinemateca, com a exibição do filme A RAINHA DIABA, de Antônio Carlos da Fontoura, que recupera a figura mítica, de 1940, que ficou conhecida como "Madame Satã” -  um negro, boémio, homossexual - interpretado por Milton Gonçalves.