ASCENSÃO, BALADA DE UM BATRÁQUIO, CAMPO DE VÍBORAS E O ORNITÓLOGO EM KIEV

26/10/2016
Três curtas-metragens portuguesas e uma longa no festival Molodist - Kyiv International Film Festival, na Ucrânia.
O festival, que decorre na capital da Ucrânia até dia 30 de outubro, é um dos principais eventos de cinema na Ucrânia e da Europa de Leste.
Molodist Kyiv International Film Festival nasceu em 1970 e tem como principal objetivo promover o cinema profissional jovem e representar não só filmes profissionais, mas também amadores.

Ascensão, de Pedro Peralta, é uma curta-metragem, com apenas 17 minutos, que nos mostra o resgate de um homem que caiu num poço. Com apenas três planos e muito pouco diálogo, a curta-metragem foca-se na grande força visual criada pelo olhar fotográfico de João Ribeiro.
Balada de um Batráquio, de Leonor Teles, explora as crenças, os mal-entendidos e a xenofobia para com as pessoas de etnia cigana, a propósito da superstição de colocar sapos de loiça à porta das lojas e casas, de modo a impedir sua entrada. Filha de pai cigano, a realizadora tem um especial interesse pelo tema, implicando-se ela própria na história.
Campo de Víboras, de Cristèle Alves Meira passa-se numa aldeia em Trás-os-Montes onde, num jardim cheio de víboras, é encontrada morta uma senhora idosa. A sua filha Lurdes desapareceu sem deixar rasto. Os rumores sobre o que se poderá ter passado e o destino da casa começam a espalhar-se rapidamente.
O Ornitólogo, de João Pedro Rodrigues, conta-nos a história de Fernando, um ornitólogo solitário, que é engolido pelos rápidos quando descia um rio perdido no norte de Portugal, em busca de uma espécie ameaçada de cegonhas.
Salvo das águas por duas chinesas em peregrinação a Santiago de Compostela, entra numa floresta sombria e misteriosa ao tentar regressar ao local de onde partiu. Pouco a pouco, obstáculos e encontros inesperados colocam-no à prova, surpreendem-no, violentam-no e conduzem-no a atos extremos que o vão transformar. Gradualmente, Fernando revela-se um outro homem: inspirado, múltiplo, e, finalmente, iluminado.