ANIMAÇÃO ESTREOU COM O FILME “GRANDES ESPERANÇAS”

17/06/2016
A curta-metragem de animação O ACIDENTE, produzida pela Filmógrafo e Cine-Clube de Avanca, dos realizadores André Marques e Carlos Silva, estreou nos cinemas esta quinta-feira.

Acompanhando a exibição do documentário GRANDES ESPERANÇAS de Miguel Marques, retoma-se assim um hábito antigo de exibir animação antes do filme de longa-metragem.

Nos cinemas de Ovar, Castelo Branco e Abrantes estes filmes estreiam em sessões diárias, em Aveiro (Teatro Aveirense), Ribeira Grande nos Açores (Teatro Ribeiragrandense), Évora (Soror Mariano), Fafe, Avanca e Vila Real (Zona Livre), estes filmes serão exibidos em sessões especiais.
O ACIDENTE relata uma participação ao seguro de alguém que sofreu um aparatoso acidente de trabalho. Um assentador de tijolos um tanto ou quanto desajeitado, as leis da gravidade e a negligência na segurança são a base de uma inesperada sequência de situações particularmente perigosas.
O filme tem música de Fernando Augusto Rocha e conta com a voz de Fernando Mendonça.
André Marques é um realizador, animador e ilustrador com um largo curriculum em filmes premiados, sendo nesta obra também o autor do argumento e da criação gráfica.
Carlos Silva é um dos realizadores da primeira longa-metragem do cinema de animação português "Até ao Tecto do Mundo”, para além de ser um especialista em pós-produção.
O ACIDENTE que teve a sua estreia no Festival AVANCA, foi também exibido em alguns dos maiores festivais do cinema de animação mundial, nomeadamente o Anima Mundi e o Cinanima. Premiado nos Estados Unidos, mas também em Portugal, esta obra foi selecionada e exibida em países dos 5 continentes.
Exibido em complemento ao documentário de longa-metragem GRANDES ESPERANÇAS, os dois filmes confrontam fortemente a burocracia.
GRANDES ESPERANÇAS é o resultado de um mês de filmagens contínuas na Loja do Cidadão do Porto, dando-nos uma visão de conjunto e única dos mecanismos de legitimação do indivíduo perante o estado. Entrar nos meandros da burocracia é uma aventura inesperada e no mínimo cómica. Um filme onde os cidadãos são os protagonistas.
Também produzido pelo Cine-Clube de Avanca, neste filme intervieram António Osório e Filipe Ribeiro na imagem, Ana Roseira, Joana Peixoto e Júlia Rocha na produção, Jonathan Saldanha e Fernando Augusto Rocha no som, Luísa Marinho e Leonor Areal na montagem. António Costa Valente e Miguel Marques produziram o filme, tendo o realizador intervindo em todas as fases de produção da obra.
Miguel Marques é autor de documentários como Pots, Pans and Other Solutions (2012), Mulheres Traídas (2007), Porque é que Clara se Apaixona? (2005), Ruptura (2003), para além de Grandes Esperanças. Várias vezes premiados no Festival de Cinema de Avanca, a sua obra procura intervir no espaço que está expresso no cartaz do filme GRANDES ESPERANÇAS, "A vida de hoje é muito complicada”.
A estreia destes filmes tem o apoio do Festival de Cinema AVANCA 2016, que este ano comemora o seu 20º aniversário, e do ICA / Ministério da Cultura.