PELOS CAMINHOS DO CINEMA PORTUGUÊS

13/11/2015
A 21ª edição do festival Caminhos do Cinema Português realiza-se de 27 de novembro a 5 de dezembro. O mote é mostrar ‘todo o cinema português’. Este ano, foram escolhidos 59 filmes.

2015 foi o ano em que a organização recebeu mais de mil inscrições. Este ano marca também a estreia da Seleção Ensaios Internacionais, com o objetivo de apresentar, ao público português, uma amostra representativa do que se vai fazendo nas escolas internacionais de cinema. 

 

UM PAÍS EM COIMBRA

O evento é uma iniciativa do Centro de Estudos Cinematográficos da Associação Académica de Coimbra. Primeiro uma Mostra e, mais tarde, um Festival, desde 1988 que o objetivo é o maior número possível de obras representativas dos vários géneros do cinema nacional. 

CAMINHOS QUE SÃO ENSAIOS

Os Caminhos do Cinema Português incluem duas secções competitivas — a Seleção Caminhos e a Seleção Ensaios. Serão exibidas na Seleção Caminhos obras estreadas desde novembro de 2014. São 8 animações, 14 documentários, 29 curtas e 8 longas-metragens. Para além da já referida mostra de filmes das escolas internacionais, a Seleção Ensaios propõe-se a oferecer também o que de melhor e mais relevante se faz no meio cinematográfico universitário em Portugal.  No total, são 60 filmes internacionais e 33 filmes portugueses

O CINEMA PORTUGUÊS, BEM VIVO A CAMINHAR

Tem sido um ano muito bom para o cinema português, que não poderia estar melhor representado no festival.

Na competição de longas-metragens, vai estar a trilogia de Miguel Gomes, ‘As Mil e Uma Noites’ — ‘O Inquieto’, ‘O Desolado’ e  ‘O Encantado’). O volume 2,  ‘O Desolado’ é aliás o candidato português a uma nomeação a um Óscar de Melhor Filme Estrangeiro.

Em competição no Caminhos do Cinema Português vai estar também o mais recente filme, e primeira longa-metragem, de João Salaviza. Falamos de ‘Montanha’, obra centrada nas angústias de um adolescente e que será exibida no festival pouco depois da entrada no circuito comercial, a 19 de novembro.

Entre as longas-metragens, encontram-se também selecionados ‘Mau Mau Maria’ de José Alberto Pinheiro,  ‘Yvone Kane’ de Margarida Cardoso, ‘Capitão Falcão’ de João Leitão e ‘Cinzento e Negro’ de Luís Filipe Rocha.  Entre os documentários, encontramos ‘Portugal — Um Dia de Cada Vez’ de João Canijo e Anabela Moreira, ‘João Bénard da Costa — Outros Amarão As Coisas Que Eu Amei’ de Manuel Mozos e ‘A Torre’ de Salomé Lamas.



CAMINHAR E FAZER ESCOLHAS

O júri do festival é responsável por atribuir o Grande Prémio do Festival, bem como os prémios de Melhor Curta-Metragem, Melhor Longa-Metragem, Melhor Documentário, Melhor Animação, Prémio Revelação e 14 prémios técnicos.

O júri Caminhos é composto por Ana Rocha, Gonçalo Galvão Teles, Joaquim Leitão, Lauro António, Maria Vieira, Marta Rebelo e Rita Loureiro. O júri de Imprensa é constituído por Soraia Ramos, Francisco Amaral e Rui Tendinha. O júri da Seleção Ensaios: Sílvia Almeida, Afonso Pimentel, Dinarte Branco, João Antero e Ricardo Pugschitz de Oliveira. Por fim, o júri IFFS/FICC (internacional) é formado por Margarida Mateus, Massimo Bernardoni e Odd Vaagland.

A programação completa pode ser encontrada na página do festival, onde pode também ser consultada toda a informação sobre as restantes atividades.