FESTIVAL DE GUADALAJARA COM MAIS NOVIDADES EM PORTUGUÊS

04/02/2017
Há duas curtas-metragens, em português, que se juntam às longas-metragens já anunciadas. Conheça os filmes portugueses que estarão nesta competição entre o dias 10 e 17 de março.

NOVOS ANÚNCIOS EM PORTUGUÊS

O Festival Internacional de Cinema de Guadalajara anunciou mais duas participações portuguesas. Desta feita, as curtas-metragens CIDADE PEQUENA, de Diogo Costa Amarante e FIM DE LINHA, de António Pinto e Paulo D’Alva entram na competição Cortometraje Iberoamericano.
Em CIDADE PEQUENA,de Diogo Costa Amarante, assista ao dia em que Frederico aprende na escola que as pessoas têm cabeça, tronco e membros, e que se o coração parar as pessoas morrem. Nessa noite, ele não dormiu e acordou a mãe várias vezes de madrugada para dizer-lhe que lhe doía o peito. Já o FIM DE LINHA, de António Pinto e Paulo D’Alva, é um filme baseado em factos reais que nunca aconteceram, mas que podem vir acontecer, nunca se sabe. Qualquer realidade com a pura coincidência é semelhança.

OS FILMES QUE CONCORREM

Além destas duas curtas-metragens, já tínhamos anunciado as longas-metragens que concorrem na 32ª edição do Festival Internacional de Cinema de Guadalajara. O COMBOIO DE SAL E AÇÚCAR, de Licínio Azevedo estará na competição oficial de longas-metragens da secção Ibero Americana e AMA-SAN, de Cláudia Varejão na categoria documental Ibero-Americano.

Em o O COMBOIO DE SAL E AÇÚCAR veja Moçambique em plena guerra civil em que só um único comboio liga Nampula a Malawi. Os Civis não são permitidos, mas centenas arriscam as suas vidas para viajar 700 km em linhas sabotadas. Entre balas e risos, a vida continua e as histórias vão sendo contadas à medida que o comboio avança, sempre sob ataque e lentamente, em direcção à próxima paragem. O Comboio de Sal e Açúcar é uma viagem mágica a bordo de um comboio africano que carrega centenas de heróis desconhecidos.

AMA-SAN mostra-nos a vida de três "ama”: Mayumi, Masumi e Matsumi que são mergulhadoras e dedicam a vida à recolha de abalones, algas, pérolas e outros tesouros marinhos. A realizadora Cláudia Varejão foi a uma vila na Península de Ise-Shima, no Japão, onde filmou mulheres que mergulham em alto-mar e que respeitam uma prática ancestral. Esta prática faz-se em condições muito rudimentares e as "Ama” enfrentam um trabalho sem oxigénio e com poucos instrumentos para estarem confortáveis e seguras.

HISTÓRIA DO FESTIVAL DE GUADALAJARA

O Festival Internacional de Cinema de Guadalajara (FICG) é a reunião mais importante do cinema latino-americano. Neste evento destacam-se: a qualidade e relevância dos filmes exibidos durante o festival, a reunião entre as inúmeras celebridades; a presença dos profissionais da indústria que materializam os projectos e fazem negócios e dezenas de milhares de pessoas que participam nas diversas atividades culturais, formação e entretenimento. Este ano a 32ª edição realiza-se de 10 a 17 de março e pode consultar toda a informação no site deste Festival.