CINEMA E AUDIOVISUAL PORTUGUÊS: ANO DE CELEBRAÇÃO

31/12/2015
Mostrar o que se faz por cá e aprender com os bons exemplos do estrangeiro. Viajar pelo mundo ou receber quem vem de fora para contribuir. Numa lógica de dar e receber, assim tem sido o Ano do Cinema e Audiovisual Português.

Não, o Ano do Cinema e do Audiovisual Português não começa agora, nem terminou no último dia de 2015. Na verdade, esta iniciativa — da responsabilidade do Ministério da Cultura — e que pretende promover o setor a nível internacional, teve início a 31 de agosto do ano passado e irá percorrer quase todo o ano de 2016, terminando em setembro.

Desenvolvido pelo Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA) em colaboração com a Academia Portuguesa de Cinema (APC), o Ano do Cinema e do Audiovisual "substitui” eventos semelhantes nas áreas da Arquitetura (2013/2014) e Design (2014/2015). Nesse sentido, tem percorrido o país e o mundo — e irá continuar a percorrer — através da realização de workshops, conferências e semanários, em que a presença de atores, realizadores e produtores tem assumido grande destaque.

O primeiro grande momento deste evento foi a atribuição da medalha de mérito cultural a Haden Guest, diretor da Cinemateca da Universidade de Harvard, pelo seu contributo para a visibilidade do cinema português nos Estados Unidos. Mas houve e haverá mais. Muito mais. Cá dentro e lá fora.

 

O nosso cinema, mundo fora

Em setembro do ano passado, decorreu em Lisboa a primeira edição da "Festa do Cinema Chinês”. Agora, será a vez da 7ª Arte nacional viajar até à Ásia e aterrar naquela que será a Mostra do Cinema Português na China. O evento realizar-se-á em outubro e contará com a presença de várias personalidades do meio cinematográfico.

Com Nova Iorque como pano de fundo, irão ocorrer as apresentações do NY Portuguese Short Film Festival — no âmbito do protocolo assinado entre a APC e o NY Art Institute. Serão várias conferências em diferentes países com a presença de atores, realizadores e produtores num formato de perguntas e respostas.

As cidades polacas de Varsóvia (14 e a 15 de janeiro), Cracóvia (16 e 17), Lublin (19 e 20) e Poznan (22 e 23) serão as próximas a receber esta iniciativa.

Em junho, Nova Iorque e Londres serão as anfitriãs, não havendo ainda data para Paris. De referir, que em novembro do ano passado, Maputo, Joanesburgo, São Paulo e o Rio de Janeiro receberam eventos semelhantes.




Da Rússia, com amor

Outro dos destaques do Ano do Cinema e do Audiovisual Português será o Grande Ciclo do Cinema Russo. Além da apresentação de películas de realizadores como Sergei Eisenstein, Andrei Tarkovsky, Aleksandr Dovzhenko ou Larisa Shepitko, está ainda em curso um trabalho junto das escolas secundárias de ensino artístico e universidades da Grande Lisboa que versará sobre este tema. A Universidade Lusófona e a Cinemateca Portuguesa — Museu do Cinema fazem parte do projeto.

Maio, mês de distinções

Maio é o mês de entrega e exposição de prémios. De 2 a 14, no Foyer do Grande Auditório do Centro Cultural de Belém, poderá ser vista uma exposição de troféus das várias academias europeias. Será uma oportunidade única para conhecer a imagem e história daqueles organismos.

Entretanto, a 8 de maio, em Lisboa, decorrerá o Young Academy Audience Film Awards. Apresentados desde 1988 pela Academia Europeia de Cinema de forma a reconhecer a excelência do cinema europeu, os prémios são entregues em mais de 10 categorias.

Os Prémios Sophia 2016, a 13 de maio, fecham o ciclo: o Grande Auditório do Centro Cultural de Belém é o local onde se irá distinguir o melhor do cinema português. São 21 categorias, entre as quais as de Melhor Filme, Melhor Realizador, Melhor Ator, Melhor Atriz, Melhor Banda Sonora, Melhor Fotografia, Melhor Argumento Original e Adaptado, Melhor Curta-Metragem, Melhor Documentário e Filme Estrangeiro.




Aprender com o Cinema

Comecemos com as conferências sobre animação: serão 5 conferências/workshops e Master Classes na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, que têm como objetivo aprofundar o estudo e a prática da animação através de temas e convidados/formadores de referência a nível internacional.

Já neste mês, a 6, 7 e 8, o tema será a "Animação, Narrativa e Jogos Interativos”. Em março, a 17, 18 e 19, as conferências regressam com "O Papel do Fotograma na Exposição Animada”. Um mês depois, de 14 e 16 de abril, teremos "A Criação de Personagens e Ambientes de Animação”. As últimas conferências terão lugar em maio, de 19 a 21, sobre "A Planificação de Projetos em Animação Autoral”.

Ainda em maio, decorrerá o "Pick a Talent — Casting Directors, onde decorrerão palestras e workshops com 15 diretores de casting internacionais, que irão transmitir os seus conhecimentos nesta área. Serão 3 dias dedicados a esta temática: 18, 19 e 20.

Em junho, a APC organizará uma conferência sobre a Internacionalização do Cinema Português. Será a oportunidade para produtores, realizadores e atores abordarem o atual estado da indústria cinematográfica. Joana Vicente, produtora e distribuidora em Nova Iorque, será uma das conferencistas.

E o guionismo?

Sim, não foi esquecido. Após o Festival Internacional do Guião Cinematográfico de Língua Portuguesa, que se realizou em novembro do ano passado, no Cinema São Jorge em Lisboa, haverá ainda uma ação de formação consertada com a Academia Europeia. Realizadores, produtores e argumentistas irão partilhar e conhecer o que se faz por cá. Uma das propostas passa, ainda, pela criação de uma base de dados onde possam constar os diferentes tipos de guiões e argumentos para produção.

Por fim, em outubro, decorrerá a exposição "Uma Viagem ao Cinema Português” através do Cartaz sobre a Evolução do Cinema. Um trabalho que dará origem a um livro. Nele, constarão as várias obras cinematográficas nacionais em fotografia. Esta exposição terá o selo da Cinemateca Portuguesa — Museu do Cinema e da Sociedade Nacional de Belas Artes.