69ª EDIÇÃO DO FESTIVAL DE CANNES COM SURPRESAS E CINEMA PORTUGUÊS

19/04/2016
Há poucos festivais internacionais tão antecipados e com mais mediatismo do que o eterno Festival de Cannes. A Seleção Oficial da edição deste ano foi anunciada na passada quarta-feira por Thierry Frémaux, o diretor. Portugal marca presença com um filme exibido no Festival e duas curtas selecionadas para competir na Semana da Crítica.

Depois de ter sido anunciado o filme de abertura - Café Society - a comédia anual a que Woody Allen nos habituou, ficámos logo a saber os escolhidos para a corrida da Palma de Ouro, as obras selecionadas fora da competição e para as Projeções Especiais. E entre algumas surpresas, temos A Morte de Luís XIV, uma co-produção nacional de Albert Serra, que este ano terá destaque na secção das  Projeções Especiais e duas curtas também portuguesas a competir  na Semana da Crítica.

 

PORTUGAL EM CANNES

A presença de Portugal em Cannes não se fica pelo festival, já que a Semana da Crítica - uma secção paralela ao festival, dedicada a revelar novos talentos na realização – anunciou 2 curtas portuguesas na sua seleção. 





Falamos de Ascensão, de Pedro Peralta e com produção da Terratreme, uma curta que narra a história de um grupo de camponeses que tenta resgatar o corpo de um rapaz de um poço; e Campo de Víboras, de Cristèle Alves Meira, produzido por Fluxus Films e Ukbar Filmes, com a ação a acontecer em Trás-os-Montes e a acolher a história de mistério e más-línguas durante a Festa dos Caretos.



UM FILME PORTUGUÊS NA SELEÇÃO DO FESTIVAL

No Festival de Cannes, Portugal terá um filme a ser exibido na secção das Projeções Especiais: falamos da co-produção nacional A Morte de Luís XIV de Albert Serra.





O realizador espanhol, que já venceu o Leopardo de Ouro em Locarno com História da Minha Morte, este ano traz-nos um filme a retratar os últimos dias do Rei francês mais conhecido da história. O filme rodado entre Bordéus e Queluz é co-produzido pela Rosa Filmes, tem o apoio da RTP e do Instituto do Cinema e Audiovisual e conta com Jean-Pierre Léaud, um dos ícones da Nouvelle Vague Francesa, no papel principal.





"É um filme muito preciso e arriscado. Foi um prazer trabalhar com o Jean-Pierre Léaud. Tem sido muito bom trabalhar em Portugal com a Rosa Filmes. Já estou cá há três meses!". É assim que o realizador Albert Serra fala da experiência da coprodução com a portuguesa Rosa Filmes para A Morte de Luís XIV, a única obra com o selo de Portugal na secção oficial de Cannes e que está a deixar os franceses nos picos da curiosidade.



UM FESTIVAL DE DESTAQUES E SURPRESAS

Um dos destaques desta 69ª edição do Festival de Cannes é o regresso do Brasil à competição, com a eterna Sónia Braga a ser protagonista no filme Aquarius de Kléber Mendonça Filho. O filme concorre à Palma de Ouro ao lado de outros regressos ao festival. Falamos do mediático Pedro Almodóvar com o seu novo Julieta, Olivier Assayas com Personal Shoppers e o premiado Xavier Dolan com Juste La Fin De Monde






O holandês Paul Verhoeven, realizador em destaque este ano no IndieLisboa, junta Elle à competição e Nicolas Winding Refn, vencedor do prémio de melhor realizador em Cannes em 2011, regressa com The Neon Demon. Ainda na corrida estão os filmes Toni Erdmann, de Maren Ade, La Fille Inconnue, dos irmãos Dardenne, I, Daniel Blake, de Ken Loach, Ma`Rosa, de Brillante Mendoza, e The Last Face, de Sean Penn.

Destaque também para o realizador americano Jim Jarmush pela sua dupla presença no festival com Paterson, protagonizado por Adam Driver, na competição para a Palma de Ouro, e fora dela com Gimme Danger, um documentário sobre os Stooges de Iggy Pop.

Fora da competição sobressaem BFG, de Steven Spielberg, uma adaptação de um livro para crianças de Roald Dahl com carimbo da Disney, Money Monster, um "thriller" realizado por Jodie Foster, com George Clooney e Julia Roberts, Nice Guys de Shane Black com Russell Crowe e Ryan Gosling e A Morte de Luís XIV, o filme português do realizador Albert Serra.





No "Um Certo Olhar” (Un Certain Regard), secção paralela, há um nome que se destaca, o japonês Hirokazu Kore-eda, que apresenta After The Storm, depois de no ano passado ter estado em competição com Notre Petite Soeur. Mas o grande filme mediático será Captain Fantastic (já apresentado em Sundance com uma certa aura de simpatia), de Matt Ross com Viggo Mortensen com uma interpretação que se diz para a temporada dos prémios, ainda que se depositem esperanças francas em La Danseuse, de Stéphanie Di Giusto, com Lily-Rose Melody Depp, a filha de Johnny Depp.




OS FILMES QUE VÃO ESTAR EM CANNES

Em competição
"Toni Erdman” – Maren Ade
"Julieta” – Pedro Almodóvar
"Personal Shopper” – Olivier Assayas
"American Honey” – Andrea Arnold
"The Unknown Girl” – Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
"It’s Only the End of the World” – Xavier Dolan
"Slack Bay” – Bruno Dumont
"Paterson” – Jim Jarmusch
"Rester Vertical” – Alain Guiraudie
"Aquarius” – Kleber Mendonca Filho
"From the Land of the Moon” – Nicole Garcia
"I, Daniel Blake” – Ken Loach
"Ma’Rosa” – Brillante Mendoza
"Bacalaureat” – Cristian Mungiu
"Loving” – Jeff Nichols
"Agassi” – Park Chan-Wook
"The Last Face” – Sean Penn
"Sieranevada” – Cristi Puiu
"Elle” – Paul Verhoeven
"The Neon Demon” – Nicolas Winding Refn

Secção Un Certain Regard
"Varoonegi” – Behnam Behzadi
"Apprentice,” Boo Junking
"Voir du Pays” – Delphine Coulin and Muriel Coulin
"La Danseuse” – Stephanie di Giusto
"Clash” – Mohamed Diab
"La Tortue Rouge” – Michael Dubok de Wit
"Fuchi Bi Tatsu” – Fukada Koji
"Omar Shakhsiya” – Maha Haj
"Me’Ever Laharim Vehagvaot” – Eran Kolirin
"After The Storm” – Kore-Eda Hirokazu
"Hymyileva Mies” – Juho Kuosmanen
"La Large Noche de Francisco Sanctis” – Francisco Marquez and Andrea Testa
"Caini” – Bogdan Mirica
"Pericle Il Nero” – Stefano Mordini
"Captain Fantastic” – Matt Ross
"The Transfiguration” – Michael O’Shea
"Uchenik” – Kirill Serebrennikov

Fora de competição
"The BFG” – Steven Spielberg
"Goksung” – Na Hong-Jin
"Money Monster” – Jodie Foster
"The Nice Guys” – Shane Black

Projeções especiais
‘L’ultima Spiaggia” – Thanos Anastopoulous e Davide del Degan
"A Chad Tragedy” – Mahamat-Saleh Haroun
"The Death of Louis XIV” – Albert Serra
"Le Cancre” – Paul Vecchiali

Projeções de meia noite
"Gimme Danger” – Jim Jarmusch
"The Train to Busan” – Yeon Sang-Ho


Confira ainda a lista completa da seleção da Semana da Crítica:

Longas-metragens em competição
"Album” -  Mehmet Can Mertoglu
"Diamond Island” -  Davy Chou 
"Grave” - Julia Ducournau 
"Mimosas” - Oliver Laxe 
"Shavua Ve Yom”, de Asaph Polonsky 
"Tramontane”, de Vatche Boulghourjian
"A Yellow Bird”, de K. Rajagopal

Curtas-metragens em competição
"Arnie” - Rina B. Tsou 
"Ascensão” -  Pedro Peralta
"Campo de Víboras” - Cristèle Alves Meira 
"O Delírio é a Redenção dos Aflitos” -  Fellipe Fernandes 
"L'Enfance d'un Chef” - Antoine de Bary 
"Limbo”, de Konstantina Kotzamani 
"Oh What a Wonderful Feeling” -  François Jaros (Canadá)
"Prenjak” -  Wregas Bhanuteja 
"Le Soldat Vierge” - Erwan Le Duc 
"Superbia” - Luca Tóth 

Sessões especiais
"Victoria” - Justine Triet - Filme de abertura
"Bonne Figure” -  Sandrine Kiberlain - Filme de encerramento
"En Moi” -  Laetitia Casta - Filme de encerramento
"Kitty” -  Chloe Sevigny - Filme de encerramento
"Los Pasos del Agua” - César Augusto Acevedo 
"From the Diary of a Wedding Photographer” - Navad Lapid 
"Happy Times Will Come Soon” - Alessandro Comodin 
"Apnée” - Jean-Christophe Meurisse